sábado, 1 de agosto de 2015

Ainda Vale a Pena Ser Honesto no Brasil?

A pergunta pode parecer e até mesmo ser bem simples, porém extremamente espinhosa e delicada é a resposta. Se começarmos de cima para baixo, desde os mais altos escalões governamentais e empresariais, os escândalos diários noticiados com a regularidade tamanha que muitos de nós, meros cidadãos comuns, já não temos mais a capacidade de nos assustar.

Assim, mesmo se fizermos o caminho inverso, de baixo para cima, com a mesma periodicidade diária, acompanhamos matérias jornalísticas de pequenos delitos praticados pelos cidadãos menos abastados, nesse caso a diferença está em que na maioria das vezes os crimes são oriundos de necessidades financeiras.

Na mesma esteira vem as entidades responsáveis pela fiscalização e punição dos fora da lei, que vez por outra também aparece em alguma notícia de escândalo, abuso, corrupção ou coisa que o valha.

Desta forma, fica bastante difícil orientar, educar e ensinar aos mais jovens que o caminho certo é o da retidão, pois que hodiernamente percebemos que no Brasil àqueles que “andam na linha” muitas das vezes são “atropelados pelo trem”, não tendo qualquer reconhecimento, consideração, apoio e/ou incentivo para honestamente permanecer vivendo.

O resultado de toda essa avalanche de “falta de honestidade” é o legado deixado as crianças e adolescentes que presenciam tudo da mesma forma, porém que não têm o mesmo discernimento das pessoas de mais idade. E sem saber a quem seguir, normalmente tendem a acompanhar o lado aparentemente mais “fácil” da vida, característica muito comum a imaturidade juvenil.

Em suma, particularmente não vejo luz no fim desse túnel, e para ser bem sincero creio que as coisas vão piorar cada vez mais. Um conselho? Há bem pouco tempo comecei a ter fé, e como qualquer bom dicionário nos traduz, ter fé é crer com todas as suas forças em algo que não se tem qualquer prova fático-material de que esse tal algo existe ou vai existir.

Sigamos fazendo aquilo que cremos ser o correto, e torcendo e aconselhando àqueles que a nós pedem qualquer tipo de auxílio ou orientação a fazer o mesmo. Do contrário entregue-mo-nos de vez ao desconhecido e partamos desta vida para uma outra ou para o nada, pois que se não tens fé no que vive, para que vive?

domingo, 31 de maio de 2015

Isso É Brasil - Mc Garden


Isso É Brasil

Mc Garden

Como é que vocês querem ser feliz esse ano
Deixando a responsa com o Feliciano
Humanos direitos vai ter o direito
De ter um monstro nos direitos humanos
Daqui a pouco vão tacar mais lenha
Querer acabar com a lei Maria da Penha
Se pá ele vai pedir o seu cartão
Mas vê se não vai esquecer de dar a senha
(Voz Feliciano pedindo senha do cartão)
Eu mantenho minha fé em nós
Do que no seu Deus que está nas igrejas
Que só ama quem põe na bandeja
E manda pro inferno quem toma uma breja
Tá rolando dinheiro a vera
E tu quer saber onde que tão os seus
Na assembleia dos deputados
Ou se tá na assembleia de Deus
Ou se tá lá na Universal
Se pá teve lá na Mundial
Ou tá la na igreja da graça
A Igreja que é internacional
Apóstolo estuprando seu bolso
E o cristão estuprando o gatilho
O pastor estuprando a fiel
E o padre estuprando seu filho
Mas se for olhar profundamente
Os problemas com crente é peixe pequeno
O Brasil é o país da festa
E o que nos resta é tá no veneno
Brasileiro quer ser mais malandro
Explorando os bolivianos
Enquanto isso o nosso Nióbio
Sai daqui por debaixo dos panos
Observe de perto, meu mano
Olha lá nossos governadores
Não investem na educação
Pra não ter uma geração de pensadores
Pensadores tentaram avisar
Mas você fingiu que não viu
Aqui a bunda vale mais que a mente
Infelizmente esse é o Brasil
O problema tá lá no nordeste
Tá aqui em São Paulo e também tá no Rio
Isso é Brasil
Isso é Brasil
A bandeira são somente cores
Os nossos valores você não sentiu
Isso, Isso é Brasil
Isso, Isso é Brasil
Autoridades não usam ideias
Só usam onomatopeia do Shiu
Isso é Brasil
Isso é Brasil
Mc Garden tá aqui te falando
Tu tá escutando, será que ouviu?
Isso é Brasil
Isso é Brasil
Sistema de saúde precário
Só de lembrar até passou mal
Me incomodo menos com a doença
Do que com a demora do hospital
Brasileiro achando legal
Ser tratado como animal
Mas como é que vamos reclamar
Se às vezes nós agimos como tal?
Violência policial
É melhor nem tocar nesse assunto
Porque daqui a pouco vão excluir esse vídeo
E se eu falar muito vão me excluir junto
Agora olha nossos os buzão
Que as 7 da manhã não cabe mais ninguém
E logo mais aumenta a condução
E vocês vão achar que está tudo bem
Tão querendo acabar com os índios
Que é a origem do nosso país
O dinheiro tá mandando em tudo
E deixando mudo quem quer ser feliz
A pressa tá matando ciclista
E nas avenida mais um arregaço
O que dá a sorte de ter vivido
O piloto maldito joga fora o braço
Na rede social só piada
Também alienando a massa
Ou garota posando pelada
Quer tá na playboy, mas fez isso de graça
Mcs esqueceram da paz
Jovens como antes não se fazem mais
O casal chega na adolescência
E na mó indecência eles já vão ser pais
Onde é que estão os pais?
Será que estão presos na cela?
Ou será que tão presos na sala
Em frente uma TV assistindo a novela?
Pensadores tentaram avisar
Mas você fingiu que não viu
Aqui a bunda vale mais que a mente
Infelizmente esse é o nosso Brasil
O Problema tá lá no nordeste
Tá aqui em São Paulo e também tá no Rio
Isso é Brasil
Isso é Brasil
A bandeira são somente cores
Os nossos valores você não sentiu
Isso é Brasil
Isso é Brasil
Autoridades não usam ideias
Só usam onomatopeia do Shiu
Isso é Brasil

A Economia do Mundo de Oz Brasileira



Desde a época da escola ouço as expressões, “Lei da oferta e da procura” e “Ativo e passivo”, este último não se trata da conotação que hoje é quase que de admiração obrigatória desde a mais tenra idade, e sim jargão do meio da matéria de economia.

Como para mim, creio também não ser de grande dificuldade para a maioria das pessoas adultas, entender os conceitos das expressões do parágrafo acima. Sendo a primeira, se existir muito oferta de um determinado produto e baixa procura, a tendência do preço é diminuir, e vice-versa. E a segunda expressão é que sempre devemos tentar equilibrar nossos ativos e passivos, sempre buscando manter àqueles maiores do que estes.

O que me é muito difícil de entender é que, acompanhando a algum tempo programas de entrevistas sobre economia, principalmente na Globo News, sendo um dos principais o Conta Corrente, onde os convidados sempre são especialistas da área do mais altíssimo gabarito, os mesmos têm uma dificuldade imensa na tentativa de descobrir o motivo de nossa pátria amada ir ladeira abaixo, quando o assunto são as finanças.

Eu, que nunca passei 10 minutos em uma aula de economia, identifico se não a maior, pelo menos uma das maiores causas de nossa derrota econômica.


Juros altos e Benefícios sem fim.

Vamos “começar do começo”. Se você promete e cumpre sustentar toda e qualquer pessoa que não tenha condições financeiras, bem como seus filhos (não importando quantos), e ainda com grandes chances de lhe ofertar uma moradia, sem ter que trabalhar por qualquer tostão que seja, quais são as chances dessas pessoas, em sua gigante maioria, sem qualquer estudo, preparo ou orientação, buscar algum tipo de profissionalização ou trabalho que seja?

Parece exagero, mas é exatamente assim. A política de assistencialismo/paternalismo, que não foi criada, mas muito fomentada e turbinada pelo Partido Dos “Trabalhadores”, fez e permanece fazendo isso. É só observar o crescimento dos movimentos dos “SEM” qualquer coisa. Sem Teto, Sem Terra, Sem Comida, Sem Trabalho, e a lista é infinda. Quando vejo ou ouço qualquer tipo de movimento que tenha a palavra “SEM” em seu título, já sei que se trata de muitas pessoas, que não querem fazer o menor esforço, a não ser para destruir propriedades (públicas ou privadas), e que querem algo totalmente gratuito.

Como exemplo, fico estarrecido quando vejo um grupo de invasores de alguma área onde é proibida a construção, no processo de retirada das famílias, estas mesmas exigirem moradia e o governo ainda fornecê-las. Ora cara pálida, você invade onde não poderia ter invadido, constrói o que não deveria ter construído e ainda ganha uma moradia como sanção? É isso mesmo.

O resultado de tudo isso é, sempre o crescimento dos juros, pois alguém tem que pagar esta conta (ou seja, eu e você), e um sistema de previdência que ano após ano sempre apresenta déficit (outra expressão da área de economia), e que com muito mais força nos últimos nove anos (Governo PT), é só buscar no Google.

Porém, nada de se espantar de um partido onde um de seus maiores líderes e também fundador, quando na presidência da República, alegrava-se e fazia questão de falar em horário nobre e em rede nacional que, a economia ia muito bem obrigado pois, tantos centos milhões de pessoas a mais eram sustentadas pelo Bolsa Família. Mas como assim? Mesmo ainda sem saber nada de economia acho que deveria ser o contrário, acho que deveria ser motivo de alegria a diminuição da quantidade de pessoas a necessitarem do auxílio.

A conclusão a que chego não é muito simples, porém nem tão complexa assim, pouca gente trabalhando para muita gente mamando. E se o INSS fosse uma empresa privada já teria falido há muitas décadas.


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Manifestações em 2013 = Reeleições em 2014



Há muito tempo que não escrevo nada por aqui. é chegada a hora do retorno.

Em junho de 2013, praticamente todo o Brasil parou devido a manifestações ocorridas em quase todo o país. Um movimento popular, onde milhões de pessoas foram as ruas em todos os estados exigindo menos corrupção, mudanças de governo, chegando até mesmo, no Rio de Janeiro, a fazerem um protesto fixo em frente a casa do Governador Sérgio Cabral.

Ocorre que, pouco mais de um ano depois vieram as eleições e a real possibilidade de mudanças que o povo tanto gritou nas ruas. Surpreendentemente, no Rio de Janeiro, tanto o candidato da situação, como a presidente candidata a reeleição venceram.

Sinceramente, fugindo de toda e qualquer análise política, ficou difícil entender o que aconteceu, ou extremamente fácil, se adotarmos o velho ditado de que o povo brasileiro tem uma memória extremamente curta.

Escândalos de corrupção envolvendo toda a cúpula do Governo Federal e do Partido Dos Trabalhadores, que foi condenada e presa, não foram suficientes para tirar do poder a candidata a reeleição.

Ponho-me a pensar, o que seria necessário para retirar do poder uma pessoa que já praticou roubos a bancos, homicídios, sequestros, tráfico de armas, e recentemente teve toda a sua cúpula, tanto do partido como do Governo condenada e presa, e não proferiu nenhum mero comentário de que condena as práticas realizadas por seus companheiros?

Neste momento me vem a mente a frase que meu avô, um senhor de 85 anos sempre diz: “Cada povo tem o Governo que merece.”

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

A morte de Eduardo Campos e a lei 12.970/2014

Não há que se falar em teorias de conspiração, o que existe são indícios, e tais indícios, em qualquer nação que se considerasse séria, seriam apurados.

Um acidente aéreo, em condições muito suspeitas, onde morre um candidato a presidência da República, que está colocado em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. Sendo que três meses antes (08/05/2014), a atual presidente sanciona uma lei (lei 12.970/2014) que proíbe as polícias investigarem acidentes aéreos, deixando tudo a cargo da Aeronáutica, sendo que esta tem como chefe ela própria, a presidente da República.

E ainda quanto àqueles que creem que uma presidente da República não seria capaz de um ato como este, é só voltarmos algumas décadas e estudarmos o passado da Srª Dilma Vana Roussef , dentre algumas características encontram-se: participação na organização COLINA, esta que praticou vários roubos a bancos, bem como homicídios e atentados a bomba e transporte de armas e dinheiro para esta mesma organização.[1]

É o básico de qualquer inquérito policial, o estudo das condições do fato, juntamente com a vida pregressa da vítima e dos possíveis suspeito.

Bem, quase esqueço que não é possível realizar inquérito policial em acidentes aéreos, a não ser que a Força Aérea Brasileira autorize, sendo que a própria lei que proíbe a investigação policial não obriga a Aeronáutica a informar a polícia caso haja suspeita de ato ilícito no acidente:

A autoridade de investigação Sipaer poderá decidir por não proceder à investigação Sipaer ou interrompê-la, se já em andamento, nos casos em que for constatado ato ilícito doloso relacionado à causalidade do sinistro e em que a investigação não trouxer proveito à prevenção de novos acidentes ou incidentes aeronáuticos, sem prejuízo da comunicação à autoridade policial competente.- art. 88-A, § 2º, 12.970/2014, grifos nossos.

Outro ator desta cena é o Partido dos Trabalhadores (PT), desde o estreito relacionamento com a maior facção criminosa da América do Sul (FARC), passando pelas reuniões do Foro de São Paulo (este com vistas a sócio-comunizar toda a América Latina), histórico de corrupção (Mensalão, dentre tantos), e até mesmo outros homicídios (um deles o do prefeito Celso Daniel), e até mesmo de traições entre os próprios integrantes do partido, para quem não sabe Lula (ele mesmo, o ex presidente) foi informante do DOPS em tempos de outrora.

Tá bom ou quer mais ? ? ?



[1] http://www.averdadesufocada.com/index.php/textos-de-terceiros-site-34/1857-2104-dilma-roussef-e-as-organizaes-terrorista-nas-quais-militou-1-parte

terça-feira, 12 de agosto de 2014

O Mundo Está Uma Merd*

O mundo atualmente está verdadeiramente uma merd*. Nada pode ser dito, feito ou até mesmo “pensado” sem que soframos algum tipo de controle paternal, sempre com a mesma desculpa de estarmos sendo protegidos por um mal maior.

Hoje em dia tudo é homofobia, racismo ou  bullying. A sociedade repleta de adolescente e crianças superafetados e que se ofendem a qualquer brincadeira politicamente incorreta e imediatamente evocam os termos supracitados.

Ainda se fosse somente entre crianças e adolescentes até que iria, porém, atualmente os adultos já adotam os termos referenciais, juntamente com pré-conceito e discriminação, sem ao menos saberem exatamente o que estes significam. E exatamente quanto a palavra “pré-conceito” que farei uma explanação pormenor.

“Pré-conceito”, etimologicamente é um conceito anterior, ou seja, conceituar algo antes de efetivamente conhecer este algo. Se eu tenho conhecimento sobre determinado assunto, coisa, prática, pessoa, etc., e assumo não concordar ou não gostar não é PRÉ-conceito, é CONCEITO.

Assim sendo, não perpetuemos tais cacoetes sociais adiante. Saiba o que está falando antes de falar; análise a situação momentânea antes de ter um ataque de pelancas, gritando os chavões preferidos dos mentalmente afetados; ensinemos aos pequenos a ouvir e pensar antes de falar. Estas e outras práticas tão comuns, no entanto tão caras atualmente.


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

A FALTA DE INTERESSE E; PARA QUE POLÍTICA?

Em qualquer país que tenda a ser civilizado no mundo, antes de assumir qualquer cargo que requeira muita responsabilidade, o candidato estuda, adquire conhecimento, faz várias tentativas com pessoas que já passaram pelo mesmo cargo, dentre outras formas de se preparar.

No Brasil, acontece exatamente o contrário, antes de qualquer coisa, o candidato quer saber o quanto ele receberá se ocupar tal cargo, para depois analisar quais as atribuições que terá que desempenhar.

Isto acontece pois, desde cedo, quando ainda criança, somos ensinados a estudar para passar na prova, a nos prepararmos para a entrevista de emprego, a estudar para determinado cargo público, etc. Aqui, são raras as exceções onde se estuda para adquirir conhecimento, para aprender, para tornar-se um ser humano mais amplo. AQUI NÃO.

Assim, fica fácil entender porque a maioria das pessoas odeia política, e não faz a menor ideia do que se passa no cenário parlamentar. Podemos odiar matemática, mas somos obrigados a saber fazer as contas básicas para, pelo menos, sabermos se a nossa remuneração está correta. O mesmo deveria ser feito com política. Não é preciso que nos filiemos a algum partido, é preciso que pelo menos saibamos o básico, quem são os candidatos, quais as suas propostas, qual seu histórico de vida, quais de suas propostas são realmente factíveis.

Dá trabalho? Sim. Mas a tabuada também não deu?

Ocorre que ser imparcial, pelo menos em um momento como esse, é pura hipocrisia. Dizer que todo político é safado, ladrão, etc, também em nada modifica a atual situação. Não ter uma opinião formada com quem vai ser responsável pelos rumos da nação pelos próximos 4 anos não é imparcialidade, é omissão.

Ainda que você odeie política, não importa, ela sempre fará parte da sua vida, e não somente no período eleitoral, mas no bom relacionamento com os vizinhos, no trabalho, no trânsito, etc. Política, segundo a origem grega polis, nada mais é do que a vida em comunidade e para a comunidade.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

A imutabilidade do atual sistema político.

Aqueles que crêem ser possível modificar a atual situação do país, são tão ingênuos como meu afilhado de 7 anos. O sistema político, como o é hoje, já é por si prostituído. Pouco importando quem ocupar os cargos de chefe de executivo, se não fizer a vontade da maioria no Congresso não irá conseguir governar.

E a realidade é somente uma, a maioria é aliada do governo, sendo assim pouco importa a vontade da coletividade, satisfar-se-ão muito mais os interesses pessoais daqueles que favoráveis aos interesses da maioria o são.

Muito da culpa da situação a qual o país se encontra hoje é fruto da ausência de interesse político da maioria da sociedade, que muito mais prefere proferir os bordões “Eu odeio política” ou “Político é tudo ladrão”, fazendo assim com que exatamente aqueles que têm interesses escusos ocupem os cargos.

E assim sendo chegamos a situação atual, onde o jogo político por si mesmo é mais importante do que os problemas da nação. Isso sem falar dos interesses pessoais dos parlamentares e chefes de executivo.

Encontramo-nos em uma situação em que se não for a última, é uma das últimas oportunidades do país libertar-se de um pouco da dominação que hoje sofre. Um exemplo dessa dominação é o Marco Civil da Internet, que já proibiu a veiculação de alguns vídeos no Youtube, por interpretar que estes abalam o atual estado democrático de direito.

Caminhamos para um estado socialista / comunista, tal como Cuba ou Venezuela, e assim quer o partido governista deter o máximo de controle possível da população, tornando-os uma massa amorfa e direcionável para onde seus interesses decidirem, alimentados com bolsas assistencialistas, estas que deveriam ser periódicas, para todo o sempre.

Ou alguém acredita que uma pessoa, sem qualquer perspectiva de vida, que recebe do governo benefícios que a sustentam sem que a mesma precise trabalhar, irá ter o interesse de retirar do poder estes que o custeiam?


O cão não morde a mão que o alimenta.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Como ser aceito pela elite.

Teceremos aqui alguns pontos que o auxiliarão a ser bem recebido pela elite social. Se você tiver um estômago bem forte.

1-    Ser usuário de maconha- Talvez este seja o primeiro e mais fácil passo a ser dado para a sua aceitação, acompanhado do discurso que diz que a maconha faz menos mal do que o álcool e do que o cigarro, bem como o seu uso por algumas tribos indígenas, e nestas sua alegada relação com algum tipo divindade (espiritualidade);

2-    Falar muito sobre distribuição igualitária de renda- O discurso que mais o aproximará é sobre a melhor distribuição de renda e a ajuda que devemos fornecer aos mais necessitados. Juntamente, alegar obrigatoriedade do Estado em dar moradia totalmente gratuita àqueles que não têm condições de adquiri-las;

3-    Defesa de criminosos, justificando que estes pobres coitados só praticam crimes por não terem oportunidades- Este ponto é de especial relevância, pois o alçará a categoria de intelectual, visto que você consegue identificar um dos maiores problemas da sociedade, a segurança pública. Além disso, este ponto dará a você uma visibilidade de cidadão benevolente que entende aquelas pobres criaturas que vivem a margem da lei;

4-    Realizar algum tipo de trabalho voluntário, de preferência ligado a alguma ONG- Este ponto já o leva a uma categoria mais elevado de membro da elite, pois aqui você se torna conhecido por efetivamente “fazer” algo por quem não tem oportunidades;

5-    “Curtir” toda e qualquer movimentação “social”, principalmente se esta for oriunda da grande mídia- Programas como o Esquenta, da Regina Casé, são excelentes oportunidades para você desenvolver este ponto;

6-    Participar de protestos, ainda que virtualmente, não importando muito qual é a razão;

7-    Ser simpatizante das causas gays, as feministas e a toda e qualquer tipo de cota;


Estes são só alguns pontos que o farão ser aceito pela elite socialista, não impedindo que outros façam parte.


Obs.: A maioria dos pontos não são aplicáveis a você mesmo, só servem como slogan para a sua aceitação.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

A relação direta da ignorância com a maldade.

No título o leitor pode ficar bastante estarrecido ou divergente com a afirmação, porém farei em minúcias a competente explicação.

A maldade e os atos que provêm desta, indubitavelmente não têm qualquer relação com o nível intelectual do malfeitor. Ocorre que, quando alguém com nível intelectual mais elevado, decide perpetrar um ato ilícito, por exemplo, tem a perfeita noção do ato em si, bem como de sua repercussão e suas conseqüências futuras, assumindo assim todos os riscos provenientes deste malfeito.

Um sujeito ignorante, quando pratica uma deslealdade, uma ilegalidade, entre outras, por óbvio também (pelo menos na maioria das vezes) sabe que está fazendo algo que não o deveria, porém não tem a percepção de tudo o que acarreta este ato, e muitas vezes o faz também pensando que não tem outra alternativa, ainda que saiba que está errado em sua atuação.

Um exemplo clássico, é em qualquer relação consumo, quando o consumidor tem algum direito usurpado, e toma alguma atitude violenta para com o estabelecimento comercial em si. Quando se na mesma situação, este cliente tivesse um pouco mais de conhecimento saberia que muito mais vantajoso economicamente e muito menos arriscado seria acionar judicialmente aquele que o lesou.


O exemplo acima é bastante simplório e somente para posicionar do que se trata a teoria da relação direta de ignorância para com a maldade. Podem-se ver muitos outros exemplos todos os dias de atitudes bem desastrosas, e se analisadas detalhadamente observar-se-á que estas são oriundas da mais profunda ignorância do ser humano.